VIAGEM A GRUTA DO MAQUINÉ

 

                                                           PENNA -SP

.No dia 08/07/2003, em contato pelo rádio com o amigo Izair-PY1PAT, fiz um convite para fazermos uma viagem de moto, talvez pela região histórica de Minas Gerais. Horas mais tarde, por telefone, Izair fez a sugestão de irmos para a Gruta do Maquiné, na cidade de Codisburgo-MG, o qual aceitei de pronto. No início da noite nos reunimos para determinar o caminho a ser seguido e alguns detalhes da viagem. No dia 10/07/2003 às 7h partimos para nossa viagem; eu em minha Suzuki DR 800S e Izair em sua Yamaha TDM 225. As 16:30h estacionamos nossas motos na concessionária Yamaha, na cidade de Sete Lagoas-MG, cidade a qual resolvemos ficar hospedados, ficando aproximadamente a 50Km da cidade de Codisburgo-MG. Fomos muito bem recebidos por todos da Yamaha que de pronto arrumaram Hotel para nos hospedarmos e também fazendo a apresentação de alguns membros do MC Lobos da Estrada daquela cidade. Tivemos, ainda, a oportunidade de sermos recepcionados a noite por vários membros do MC Lobos da Estrada, que nos receberam como se fossemos amigos há tempos.

No dia 11/07/2003 as 9h partimos para Codisburgo-MG para visita à Gruta do Maquiné (informações abaixo). Após visitação a Gruta, saboreamos um delicioso almoço no Chero's Bar, localizado dentro do parque. Fomos recepcionados pela Dona Haydée, proprietária do mesmo e amiga de Izair. E que almoço... difícil foi voltar para o Hotel.

No dia 12/07/2003 as 9h partimos de volta, com muito frio e chuva a partir da cidade de Pouso Alto-MG, felizmente, quase chegando em casa.

Nossas paradas foram somente para abastecimento das motos e para eventuais lanches.

Rodamos 1.200 Km e voltamos realizados e com as "baterias" carregadas de energia positiva, deixando a saudade dos novos amigos e a certeza de que um dia voltaremos para mais uma visita, pois a região oferece muito.

 

“A Gruta do Maquiné – “O Berço da Pelenteologia Brasileira”

  A Gruta de Maquiné foi descoberta em 1825 pelo fazendeiro Joaquim Maria Maquiné, na época proprietário das terras, e em 1834 foi explorada cientificamente pelo naturalista Peter W. Lund. A gruta possui sete salões explorados, totalizando 650 metros lineares e desnível de apenas 18 metros. O preparo de iluminação e passarelas possibilitam aos visitantes vislumbrarem as maravilhas do Maquiné, onde todo o percurso é acompanhado por um guia local. Tem como responsável direta pela evolução de sua gênese e evolução a ação  das águas sobre a rocha Calcária, a qual vai se desgastando e formando grandes vazios subterrâneos denominados de cavernas. Repleta de ornamentos naturais, a Gruta do Maquiné apresenta um dos mais belos acervos de espeleotemas, formas resultantes da deposição calcita. Os principais espeleotemas encontrados são as estalactites, estalagmites, colunas, cortinas, represas de travertino etc. Devido a sua fragilidade, os espeleotemas devem ser somente observados e nunca tocados, pois demoram milhares de anos para se formarem.”